sexta-feira, 15 de junho de 2018

Programa de voluntários da APA da Serra da Mantiqueira caminha a passos largos.




Texto de Selma Ribeiro              
Analista Ambiental APASM/ICMBio


Os meses de maio e junho de 2018 vêm sendo marcados por um intenso envolvimento dos voluntários nas ações previstas no Programa de Voluntariado da APA da Serra da Mantiqueira, especialmente junto a implantação de trechos da Transmantiqueira. Além de dar continuidade no trabalho de sistematização de dados provenientes do “Livro Cume” da Pedra da Mina - montanha mais alta do Estado de São Paulo e a quarta mais alta do Brasil - que trará informações dos principais usuários da Serra Fina; também foram implantados os “Cadernos de Acesso”: um na Base Marins, local que dá acesso ao Trecho Marins/Itaguaré e outro na principal entrada para o Trecho Serra Fina, local conhecido como Toca do Lobo. Nesses locais também foram deixados questionários para conhecimento do perfil do visitante das trilhas. Para Wiamon, voluntário da Piquete Outdoor, “essas informações além de facilitar caso haja necessidade de ações de resgate comuns na região, também subsidiará ações educativas para os visitantes desses trechos, com vistas a práticas de mínimo impacto na montanha já que é notório a grande quantidade de lixo deixado ao longo das trilhas (especialmente banheiros), presença de fogueiras e abertura de novos acessos, que podem ser minimizados com ações educativas”.




Além dessas ações, no último dia 09 de junho aconteceu o primeiro mutirão de sinalização da Trilha Transmantiqueira, no Trecho Marins-Itaguaré, que contou com forte apoio da Associação de Montanhismo e Proteção da Serra da Mantiqueira - AMPM e de coordenadores do Movimento Trilha Transmantiqueira, onde foram sinalizados aproximadamente 13,0 km de travessia.

Para o mutirão, foram divididas duas equipes, sendo uma equipe formada por três montanhistas experientes que avançou pelas cristas da travessia, para percorrer um longo trecho com maior agilidade até aos pés do gigante Itaguaré, Monumento Natural Municipal do Itaguaré – MONA Itaguaré; e a outra equipe seguiu com cerca de 10 voluntários em formato de oficina, sinalizando a trilha de acesso ao Pico dos Marins. Segundo Rafael Teixeira, voluntário da AMPM que coordenou as atividades em campo, “toda a teoria foi discutida na prática, alinhando critérios técnicos e aguçando a sensibilidade para melhor aplicação da sinalização rústica.”




Pela primeira vez entre os trechos de sinalização da Transmantiqueira em andamento, foi testado a fixação de algumas setas de chapa metálica produzidas por voluntário do programa, Júlio do Carmo da AMPM a partir de material de reaproveitamento. Ainda para Rafael Teixeira, “a aplicação foi bem-sucedida e apesar da necessidade de equipamentos específicos como furadeira a bateria, valeu a pena todo esforço especialmente para partes onde predominam os afloramentos rochosos”.





Fazendo uso de GPS e aplicativos de celular, toda a sinalização foi georreferenciada, assim como o mapeamento das áreas críticas que necessitam de uma intervenção urgente de manejo, como parte do cronograma de ações para implementação da Trilha Transmantiqueira. Para Virgílio Dias Ferraz, Chefe da APASM, “essas informações são úteis para traçar as próximas ações do programa, já que a necessidade de manejo das trilhas é de vital importância quando se pensa na qualidade da trilha, perpetuando a Transmantiqueira”.

Para próximas ações estão previstas a continuidade dessas ações iniciadas, bem como capacitação em manejo de trilhas, continuidade da sinalização no trecho Serra Fina, e ações educativas tanto com os visitantes quanto proprietários das áreas por onde passa a Transmantiqueira, especialmente no seu trecho central.